Oportunidades

Detalhes ao estampar camisetas de PET reciclado garantem excelente resultado

Existem inúmeras formas de estampar tecidos – e você sabe muito bem disso. Mas quando o assunto são as estampas em camisetas confeccionadas com PET reciclado, alguns detalhes fazem toda a diferença no processo.

Os tecidos derivados de garrafas PET vêm ganhando muito destaque no mercado na última década, especialmente pelo seu apelo ecológico. Em média, a cada camiseta produzida, são utilizadas duas garrafas PET na composição da sua trama. E como a quantidade de materiais plásticos consumidos pelas pessoas supera – e muito – a capacidade de reciclagem, aumentar a demanda por esse tipo de tecido é uma ótima forma de contribuir para a sustentabilidade do planeta.

Mas antes de sair pelo mercado na busca por uma camiseta PET para estampar, confira, a seguir, qual a melhor forma de estampá-las e aproveitar ao máximo o potencial desse tecido junto aos seus clientes.

Para estampar, a composição tem de mudar

Como falamos, existem inúmeras formas de estampar uma camiseta. Você deve estar acostumado com o processo serigráfico, a sublimação, o laser, e até mesmo, com o bordado, não é mesmo? Mas sabia que, ao focar na estamparia de camisetas feitas 100% com PET reciclado, nenhum dos métodos citados acima é recomendado?

Isso porque a presença do plástico na composição deixa a trama do tecido “escorregadia”, o que impede a tinta de ser aderida pela peça da forma correta e prejudica, consequentemente, a fixação da estampa. Por isso, é muito comum que as camisetas feitas com garrafas PET recicladas tenham, também, outros materiais em sua composição para possibilitar, assim, o processo de estampagem.

25% poliéster (PET) e 75% algodão ou helanca

Esta é a composição ideal para a fixação da tinta via sublimação. Embora tenha fixação inferior à de outros tipos de tecido, como 100% algodão ou helanca light, por exemplo, essa composição consegue fixar uma boa quantidade de tinta em suas tramas, permitindo, assim, seu uso para fins promocionais.

50% poliéster (PET) e 50% algodão

Este tipo de composição é extremamente complicado para estampas, tanto que nem mesmo a sublimação consegue dar conta da fixação da tinta nesse tecido. Apesar disso, dá para optar, nesses casos, pela aplicação da estampa em pequenas áreas, através do processo serigráfico. Embora exista uma limitação maior de cores, dessa forma, você conseguirá usar o tecido, mantendo o apelo ecológico.

“Outra forma de fazer estampas em camisetas PET é imprimindo diretamente em cima do tecido. Com o uso de uma impressora DTG, por exemplo, é possível fazer isso de forma profissional, servindo de alternativa para a estamparia”, sugere Emerson Yanaguisawa, designer na Plotmix Comunicação Visual.

E você, já pensou em estampar camisetas fabricadas com PET reciclado? Continue acompanhando o nosso canal de conteúdo e fique por dentro das principais tendências de mercado.   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *