Gestão

Nylon ou poliéster: qual o melhor tecido para telas serigráficas?

O momento de escolha dos tecidos usados nas telas serigráficas costuma ser permeado de muitas dúvidas. Afinal, o tipo de material empregado pode interferir diretamente no processo, mais precisamente no suporte da camada fotográfica, na deposição de tinta e, consequentemente, na definição e resolução da imagem obtida. Por isso, o conhecimento técnico é fundamental. Olha só:

Tecidos de nylon

Os tecidos de nylon foram os primeiros a ser criados para telas serigráficas, por isso, são os mais antigos do setor. Eles possuem mais elasticidade e apresentam excelente resistência mecânica. Dessa forma, são ótimos para a impressão de pastas e tintas abrasivas, como as cerâmicas e reflexivas.

“Como deixam a tela com tensionamento mediano, são ideais para impressões em superfícies cilíndricas, curvas ou irregulares, como canecas, garrafas, shapes de skate, canetas, mouse, copos, vasos e diversos outros tipos de materiais com essa característica”, recomenda Rodrigo Pereira, designer e criador da marca Acervo Pessoal.

Tecidos de poliéster

“O poliéster é um tecido com menos elasticidade do que o nylon. Por ele ser mais firme, permite que a esticagem (tensionamento) na tela (matriz) seja, também, mais firme, dando maior durabilidade à sua matriz e garantindo uma padronização na impressão em escala”, explica Pereira.

O tecido de poliéster é mais recente no mercado e, por possuir menos elasticidade do que o nylon, se torna vantajoso para grandes tiragens ou impressões que acontecerão por períodos de tempo maiores.

Seu uso é mais indicado para superfícies planas, como tecidos, vidro, papel, acrílico, vinil, madeira, entre outros.

Lineatura dos tecidos para telas serigráficas

A lineatura dos tecidos para telas serigráficas também é um ponto que exige atenção para que o efeito de impressão final seja alcançado. Ela consiste no tamanho de trama de cada tecido, podendo ser mais aberto ou fechado.

Além do efeito de impressão, cada tinta também demanda uma lineatura diferente, uma vez que o espaço entre os fios que compõem o tecido determina se mais ou menos tinta será transferida para o substrato.

“Quanto menor o número do tecido, maior é o espaço entre um fio e outro. Quanto maior for o número do tecido, menor é o espaço entre os fios”, esclarece Pereira.

Normalmente, para impressões em tecidos para camisetas, é usada a lineatura de 77 fios. Para a tinta branca, no entanto, alguns usam 55 ou 60 fios. Por ser uma tinta mais consistente do que as outras cores, ela é mais difícil de trabalhar e entope a tela com maior facilidade. Dessa forma, um tecido com trama mais aberta pode evitar esse problema.

As tintas com base de solvente, como a vinílica, podem ser usadas em um tecido mais fechado, como os de 120 ou 150 fios. Como a sua secagem é mais demorada, e essa tinta é mais líquida, a lineatura tende a ajudar a definir melhor o desenho na impressão.

Os fios de 90 a 100 são ideais para retículas de até 12 pontos, desenhos detalhados e tecidos lisos de qualquer espessura. Já os fios 120, são excelentes para papelão, papel, vidro, madeira, couro, plástico e tecidos finos com a seda.

Vale dizer que ambos os tecidos para telas serigráficas, seja nylon ou poliéster, podem ser encontrados com facilidade em lojas especializadas em serigrafia. Normalmente, eles são vendidos por metro ou rolo inteiro para que você possa escolher a melhor opção, de acordo com o volume de sua produção.

Ficou com alguma dúvida sobre o tema? Deixe a sua pergunta nos comentários para que possamos ajudá-lo e até a próxima. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *