Gestão

Solvente, UV, sublimática e látex: o que diferencia cada tinta e onde aplicar

Escolher a tinta correta no processo de impressão é fundamental para garantir melhor qualidade e eficiência. Cada superfície pode demandar um material específico, o que torna essa escolha ainda mais importante. Confira, a seguir, as diferenças básicas entre as tintas solventes, UV, látex e sublimação.

Tintas solventes
Podem ser aplicadas em diversos materiais como plásticos, papel, papelão, madeira e metal. Geralmente, são líquidas e, com a evaporação dos solventes, secam rápido. Sua base pode ser vinílica ou sintética, entre outras. Segundo explica Carlos Pereira, do departamento técnico da Gênesis Tintas, é preciso ficar atento porque cada material exige um tipo de solvente para que a aderência da tinta na superfície do material seja plena. Embora seja a mais utilizada no mercado, essa tinta tem um cheiro forte, que pode ser prejudicial sem um sistema adequado de ventilação.

Tintas UV
São tintas de cura por radiação ultravioleta, produzidas à base de monômeros. “Por ter partículas menores que as tintas solventes, possibilita trabalhar com telas mais finas”, afirma Pereira. Também possuem cura instantânea, oferecendo rapidez e boa produtividade, além de excelente resolução de imagem. Têm, ainda, boa resistência em substratos como plástico, acrílico, papel e borracha.

Tintas sublimáticas
São exclusivas para sublimação, ou seja, primeiro se imprime em papel transfer sublimático e, depois, com o auxílio de uma prensa, transfere-se para outro substrato, que pode ser uma caneca ou uma camiseta, por exemplo. Podem realizar impressões em tecidos sintéticos, borrachas, plásticos, cerâmicas, entre muitos outros. “Quando levada a uma prensa térmica a 200ºC por 20 segundos, ela passa do estado sólido para o gasoso, transferindo a tinta do papel para o tecido”, comenta.

Tintas látex
Utilizadas para decorar paredes e criar murais, entre outras funcionalidades, são tintas compostas à base de água, resinas por cura de calor e aditivos que fixam os pigmentos durante a impressão. Oferecem brilho e durabilidade similares às tintas solventes, mas não são tóxicas e nem possuem cheiro forte. Como secam logo ao sair da impressora, garantem uma produção ágil e eficiente.

Serigrafia_Como defender a comunicação visual

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *