Gestão

Entenda como adequar máquinas de sublimação a diferentes substratos

Quem costuma utilizar máquinas de sublimação em seus trabalhos tem ideia de que elas podem ser adaptadas de acordo com o substrato que receberá a impressão. A grande dúvida que paira no ar, contudo, é de que forma essa adaptação pode ser feita sem que haja perda de qualidade no produto final.

Pensando nisso, listamos, a seguir, algumas dicas para você aprender a adequar corretamente as máquinas de acordo com o tipo de substrato utilizado na impressão sublimática. Lembrando que todo esse processo passa, necessariamente, pela compreensão de fatores muito importantes, como o tempo, a temperatura e a pressão.

A importância da adequação das máquinas de sublimação aos substratos

Quando falamos na técnica de sublimação, não é novidade dizer que o processo acontece a partir da aplicação de uma temperatura x” sobre corantes dispersos, previamente depositados ou impressos no papel transfer, que vaporizam e transferem a imagem para o substrato desejado, que pode ser um tecido, uma cerâmica, um alumínio, um vidro, entre outras superfícies.

“A sublimação não exige muita pressão, mas é importante que exista o contato entre o papel sublimático (transfer) e o substrato, para que o mesmo resultado do que é impresso no transfer seja estampado com qualidade no substrato”, explica Nilton Tcherne, professor do Portal Sublimático.

Nesse sentido, vale ressaltar que, apesar de a sublimação acontecer quando a tinta sublimática atinge 180ºC, a prensa precisa estar configurada em 200ºC. Isso porque o substrato, como uma camiseta, por exemplo, está em temperatura ambiente e “a prensa transfere o calor necessário para a sublimação do tecido em, aproximadamente, 30 segundos, tempo em que atinge os 180 ºC necessários para que os corantes sejam transferidos para o tecido. Ou seja, após 30 segundos, a temperatura de 180ºC necessária  para a sublimação do tecido acontece”, afirma Tcherne.

O gráfico, a seguir, ilustra essa curva de aquecimento e aponta como essa técnica também pode ser encarada como um processo calculado numericamente. Confira:

Adequação na prática

Nilton explica melhor os ajustes necessários para as máquinas de sublimação dando como exemplo as canecas de cerâmica: “nesse caso, é importante ajustar a pressão da prensa das canecas para que a cerâmica fique firme, sem tem a sua resistência deformada. A ideia, aqui, é descobrir o tempo. Portanto, não se preocupe em configurá-lo no painel. Configure a prensa de canecas para 200ºC e prense.”

Considerando o gráfico acima, aguarde a prensa alcançar o topo do aquecimento 2 e anote esse tempo, que é o ideal para a caneca de cerâmica que você está trabalhando.

É importante dizer que as canecas de cerâmica para sublimação comercializadas no Brasil não possuem um padrão, portanto, não são iguais. Elas têm o fundo e as paredes de várias espessuras, e essa massa de cerâmica que define a curva de aquecimento. “Por esse motivo, existem muitos relatos de problemas na transferência de tinta sublimática na parte inferior da caneca, onde se tem mais massa por conta do fundo mais grosso do que a parte superior.”

Em produtos de alumínio, no entanto, a retomada de temperatura acontece em, aproximadamente, 40 a 60 segundos, mas produtos de cerâmica podem chegar a 150 a 180 segundos, e de vidro, cerca de 300 segundos, de acordo com o professor.

Outro ponto importante está no fato de que, se uma tabela de tempo e temperatura diz que um azulejo deve ser prensado por 300 segundos, então, é preciso saber qual o tamanho desse azulejo, pois quanto maior ele for, mais massa/cerâmica ele terá.

“Estude esse processo profundamente para compreender como calcular o tempo de cada produto e, assim, se profissionalizar e criar suas próprias tabelas de tempo e temperatura”, aconselha Tcherne.

Tenha em mente, também, que o conhecimento é o que faz um profissional se destacar no mercado. Por isso, vale a pena estudar, pesquisar e testar constantemente.

Você está pronto para adequar as máquinas de sublimação aos substratos utilizados? Ficou com alguma dúvida? Escreva pra gente no campo de comentários abaixo e até a próxima!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *